Nota de repúdio da Frente Parlamentar de Prevenção ao HIV/Aids sobre declaração preconceituosa de Bolsonaro



NOTA DE REPÚDIO

A Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), do HIV/AIDS e Hepatites Virais no Congresso Nacional repudia com veemência a declaração desrespeitosa do presidente Jair Bolsonaro contra as pessoas vivendo com HIV/Aids no país, onde afirmou: “Uma pessoa com HIV é uma despesa para todos aqui no Brasil”.

O presidente Bolsonaro mais uma vez escolhe mentir e, ainda, revela preconceito tentando estigmar as políticas públicas aplicadas nos últimos anos, preconizadas por órgãos multilaterais e reconhecidas mundialmente no combate ao HIV.

Bolsonaro demonstra, também, profundo desrespeito contra a população brasileira e com a história da ciência no país, desenvolvida de forma eficiente e precisa por milhares de pesquisadores e servidores públicos da área. Mas, Bolsonaro prefere implantar e incentivar ações não comprovadas cientificamente, que já demostraram não estabelecer resultados efetivos, indo, mais uma vez, na contramão do mundo.

O preconceito, a mentira, o estímulo à ignorância, a segregação e estigmatização por parte do chefe do Poder Executivo não pode ser tolerada, pois ofende a dignidade da pessoa humana, avilta milhares de cidadãos e cidadãs brasileiros e aprofunda, ainda mais, a tragédia do nosso tempo.

O estigma pode levar a morte, e estudos realizados pela UNAIDS Brasil demonstra que mais de 64% das pessoas entrevistadas e que vivem com HIV já sofreram alguma discriminação. Por isso a agência da ONU criou a campanha “ZERO DISCRIMINAÇÃO”.  E é preocupante que ela seja realizada pelo próprio chefe do poder executivo.

 

Deputado Alexandre Padilha (PT-SP)

Presidente

Alexandre Frota (PSDB – SP)

Deputado Camilo Capiberibe (PSB – AP)

Deputado Chico D Ângelo (PDT –RJ)

Deputada Erika Kokay (PT – DF)

Deputada Fernanda Melchiona (Psol – RS)

Coordenadores

 

Mandato do deputado eleito Alexandre Padilha realiza primeira plenária



Nesta sábado (8) o mandato do deputado eleito Alexandre Padilha realizou sua primeira plenária, na Casa do Professor da APEOESP, para apresentação do balanço eleitoral e as diretrizes de mantado. Além da agenda de oposição ao governo Bolsonaro.

Com a presença de mais de 200 pessoas, apoiadores de diversas cidades do estado de São Paulo, entre elas Ribeirão Preto, Campinas, Baixada Santista, Vale do Ribeira, Araraquara, ABCD, e de importantes lideranças dessas regiões, a atividade também contou com a exibição do documentário “Agentes da Vida”, que retrata o programa Mais Médicos.

O prefeito de Araraquara, Edinho Silva, reforçou a importância de Padilha no Congresso Nacional. “Um mandato de um deputado como Padilha, que quando Ministro da Saúde criou o Mais Médicos, programa grandioso que beneficiou 63 milhões de brasileiros, me traz a clareza do papel que ele irá cumprir na organização do campo político no Congresso. Também para construção da estratégia da defesa da nossa concepção de mundo, progressista, democrático e popular.”

João Bosco, secretário geral da UNAS de Heliópolis, expressou a preocupação com a população preta, pobre e perseguida da periferia com os rumos da política no governo Bolsonaro.

“Tivemos momentos difíceis ao longo da nossa trajetória, mas 2018 foi de longe o mais difícil. Precisamos muito do mandato do companheiro Padilha, para resistência em Heliópolis e em toda periferia do nosso estado”

Paula Faria, professora e vice-presidente do PT de Jaboticabal, falou da campanha do Padilha na cidade e região. “Estamos em uma região conservadora e a campanha do Padilha foi de contato com as bases. Nosso trabalho não é somente na campanha, somos um instrumento. O próximo período será de resistência e não poderemos ficar na defensiva, com um mandato coletivo, atuante e acolhedor. “

Ricardo do SindSaude de Ribeirão Preto expressou a importância desta primeira plenária para a construção coletiva do mandato. “As consciências que são determinadas pelas condições materiais tem feito nosso povo sofrer e colocado o brasileiro bem aquém daquilo que acreditamos. A candidatura do Padilha foi singular, mesmo com os ataques que sofremos. Precisamos de um mandato com proposta de país.”

Após todas as falas, Padilha encerrou a atividade agradecendo a dedicação de todos pela vitória de sua campanha a deputado federal.

“Quero agradecer e dedicar essa vitória que tivemos a cada um de vocês. Também dedico essa vitória a quatro companheiros que não estão mais entre nós, mas sem eles não teríamos chegado até aqui: Querida Dona Marisa Leticia, Jorjão do M’boi Mirim, Zé Luís da Lapa/Brasilândia e Biro, da Baixada Santista. E também a coragem e ousadia do Haddad que tanto nos representou nesta campanha nacional e do nosso Presidente Lula.”

Padilha reforçou a campanha Lula Livre e se comprometeu a criar uma rede de apoio de seu mandato em defesa dos direitos humanos. “Onde tiver alguém violentado pelos direitos humanos será acolhido no mandato.”

Concluiu com foco em iniciativas presentes nas regiões, o papel primordial do mandato na oposição do governo Bolsonaro, contra a censura de estudantes e professores e na defesa do programa Mais Médicos para o Brasil.

“Quero um mandato participativo, que resiste e onde todos serão acolhidos, sugerindo propostas e demandas. Vamos ouvir mulheres, jovens, LGBT, povo preto da periferia, professores, trabalhadores da saúde e educação, artistas, movimentos de cultura e da luta por moradia e da reforma urbana”.