Rede em Defesa da Vida debate o impacto da covid-19 no meio ambiente e na Amazônia



 

O impacto da covid-19 no meio ambiente e na Amazônia foi tema do programa Rede em Defesa da Vida transmitido pela TV PT desta segunda (17). O debate contou com a participação do deputado federal e atuante do movimento ambientalista Nilto Tatto e da Coordenadora da Fundação Viver, Produzir e Preservar (entidade da Amazônia que tem foco na defesa da Agricultura Familiar e na luta pelos Direitos Humanos) Antônia Pereira Martins.

Para o deputado Alexandre Padilha, os legados irrecuperáveis da era Bolsonaro são vidas e meio ambiente destruídos. “O inicio do colapso das cidades em decorrência da covid-19 se deu na região Amazônica em decorrência da falta de médicos e infraestrutura de saúde, paralisação de uma série de atividades que enfraqueceu e fechou instituições públicas importantes e esses impactos facilitaram ainda mais a situação na região”.

Padilha relembrou a fala do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na fatídica reunião ministerial que veio a público, em que disse que o governo deveria aproveitar a pandemia para “passar a boiada” nas regras ambientais. Desde o início do governo Bolsonaro houve uma explosão de invasões a terras indígenas, com atividades de garimpo, queimadas, desmatamentos, situação que se agravou com a pandemia.

O deputado Nilto Tatto avaliou que o Brasil de Bolsonaro já perdeu voz e espaços de conquistas históricas do movimento ambientalista para produção de conhecimento e na capacidade do planejamento no combate ao desmatamento.

“No capítulo sobre o meio ambiente da Constituição Federal está explicitada a responsabilidade em ampliar políticas de estado para a proteção, que sejam permanentes, independente de governos. Temos pela primeira vez a frente da pasta alguém que não cuida do Meio Ambiente, que está a serviço da destruição. Nesse sentido, acionamos  a justiça responsabilizando o Presidente e Ministro por não cuidarem do meio ambiente. Também temos o desafio de  melhorar as condições de vida da população amazônida, dentro da perspectiva que isso não aconteça com a destruição dos recursos naturais”.

Para Antônia, a fala do ministro do Meio Ambiente é real, que neste governo as pessoas estão se sentindo muito empoderadas para a prática do desmatamento, violência, invasão de terras indígenas e quilombolas. “Estamos vendo a passada da boiada. E só não está pior graças aos parlamentares, movimentos sociais organizados que resistem para que não detonem com tudo. Digo sem medo de errar que a região Amazônica vive duas pandemias: a que mata lideranças, povos indígenas, mulheres, e também a da ocupação irregular de terra, com as queimadas. A Amazônia é um patrimônio do povo brasileiro e é preciso ser defendida. O momento é gravíssimo”.

Rede em Defesa da Vida na TV PT

A “Rede em Defesa da Vida” é uma Frente de Proteção com intuído de levar informações sobre a crise sanitária ocasionada pela covid-19 e que tem por missão fortalecer a vida e o SUS.  Faça parte e colabore com a ampliação da Rede compartilhando ou disponibilizando a transmissão do programa nas suas redes sociais para que a defesa da vida seja difundida para o maior número de pessoas. Caso precise de ajuda para reproduzir a live, entre em contato com a gente nas redes @padilhando ou pelo WhatsApp (11) 97581-4398.

Assista o programa na íntegra