Parceria dos deputados Padilha e Emidio de Souza garante R$ 250 mil para o Hospital Regional de Osasco usar no combate ao coronavírus



Foto: Divulgação

*Com informações da assessoria parlamentar

O Hospital Regional de Osasco recebeu R$ 250 mil para usar no combate ao coronavírus. Essa conquista foi viabilizada graças a uma parceria do ex-prefeito de Osasco e deputado estadual, Emidio de Souza, e do ex-ministro da Saúde e deputado federal, Alexandre Padilha.

O ex-ministro da Saúde recebeu um comunicado informando que os recursos já foram repassados ao hospital.

Os recursos servirão para o custeio e visam dar suporte para que a equipe do hospital tenha condição de atender as necessidades da população nesse momento difícil.

“Para enfrentarmos o congelamento de recursos da saúde em decorrência da Emenda Constitucional 95, a pandemia de coronavírus e a falta de compromisso dos poderes públicos e garantirmos a proteção à saúde do povo, nosso mandato de deputado federal priorizou a indicação de emendas parlamentares para o custeio da saúde”, explica Padilha.

De acordo com ele, a carência de recursos financeiro prejudica o atendimento. “Como médico, por ter sido Ministro da Saúde e Secretário da Saúde de São Paulo e por atender em Unidade Básica de Saúde (UBS) sei da importância e da carência de recursos financeiros. O Hospital Regional de Osasco é um serviço de alta complexidade e também é referência para as cidades do entorno. Junto com o deputado Emidio de Souza viabilizamos esta emenda parlamentar de custeio para o Hospital. São recursos a mais para o melhor atendimento da população”, afirma.

O ex-prefeito Emidio de Souza afirmou que a conquista desses recursos é importante para suprir demandas do sistema de saúde da região. “O momento é de união e não podemos medir esforços para combater o coronavírus. Espero que esse recurso seja muito bem utilizado”, afirmou.

Segundo ele, esses recursos devem ser usados para salvar vidas. “Essa é uma conquista que fortalece o SUS e soma forças na luta pela preservação de vidas”, disse.